19/12/2009

BEM VINDO (a)

Este Blog foi criado com o intuito de informar aos que tem curiosidade e interesse de saber o que a Escola Tradicional deixou de nos mostrar.

Ao acompanhar os textos, estará abrindo sua mente para uma realidade que muitos ainda não têm conhecimento, mas, que está entre nós desde o começo.

As Postagens seguem um raciocínio, sendo recomendado começar a leitura pela mais antiga, abaixo os títulos em sua seqüência:



  • Graus de Contato;

  • Relatos – Casal Marcelo Pontes e Rosi Fernandes;

  • Relato - SUPERNORMAL;

  • Relato – (em breve);

  • Relato – Constelação de Pégasus;

  • Relato – 04 Mulheres,

  • Vídeos e Sites.

Recomendamos a visita aos Blogs de seqüência:

http://frequencia-1.blogspot.com
http://frequencia-2.blogspot.com
http://frequencia-3.blogspot.com

Indicamos também:

http://mental-1.blogspot.com
http://mental-2.blogspot.com
http://mental-3.blogspot.com
http://mental-4.blogspot.com


Para maiores informações, mande um e-mail: pesq_ufologica@ymail.com

Boa leitura!
Equipe do Blog Na Freqüência.


18/12/2009

VÍDEOS E SITES



Abaixo foram selecionados alguns vídeos interessantes, mostrando um pouco do que é feito na sede do Projeto Portal em Corguinho (MS), assim como demonstração de nossas capacidades Paranormais, avistamentos de Naves feitas na região e interações com tecnologias Biomecânicas seguida por uma explicação do fenômeno.

Há também uma lista de links a serem visitados, todos eles podem ser encontrados no site do Projeto Portal (www.projetoportal.org.br), que conta com informações e localização dos núcleos de atendimentos em vários pontos do Brasil e exterior, além de matérias interessantes atualizadas constantemente.



Vídeo 01 – Programa Mente Aberta – entrevista com Urandir Fernandes de Oliveira, contando e mostrando um pouco sobre o Projeto Portal.


video



Vídeo 02 – Telecinésia – Bola de Cristal (paranormalidade).

video



Vídeo 03 – Nave filmada de dia em Corguinho - Mato Grosso do Sul
.

video



Vídeo 04 – Plasma – interação com uma Energia Biomecânica.

video



Vídeo 05 – Plasma – explicação dada por um Pesquisador sobre o fenômeno.

video



Links Certificados (sites que estão dentro dos assuntos condizentes com as informações passadas pelo Projeto Portal):


· Estado de Graça -
http://estadodegraca.blogspot.com
· Uma Nova Realidade -
www.umanovarealidade.blogspot.com
· 49 Experiências no Projeto Portal -
www.49ppexperiencias.com.br
· Ufo Corguinho -
www.ufocorguinho.com.br
· Jovens Dimensionais -
www.jovensdimensionais.latitude19.com.br
· Latitude 19 -
www.latitude19.com.br



Links de Parceria (sites retirados da página principal do Projeto Portal –
www.projetoportal.org.br)


· Ufotvonline -
www.ufotvonline.com.br
· Vibração -
http://vibracao.spaceblog.com.br
· União, Harmonia e Fraternidade -
www.conscienciadimensional.blogspot.com
· Universo do Sete -
www.universodosete.com.br
· Dimensionais -
www.dimensionais.org
· Desvendo a Verdade -
www.desvendandoaverdade.blogspot.com
· Pégasus Portal -
www.pegasus.portal.nom.br
· Projeto Portal Blog -
http://projetoportal.skyrock.com
· Freqüência Ufológica -
www.frequenciaufologica.blogspot.com
· Editora Explosiva -
www.editoraexplosiva.com.br
· Portal Salomão -
http://portalsalomao.blogspot.com
· Relatos Extraterrestres -
www.relatosextraterrestres.com
· Blog da Eliane do Canto -
http://elianedocanto.skyrock.com
· Portal Dimensional -
www.portaldimensional.no.comunidades.net




Agora que finalizou a leitura do último texto da seqüência dos Blogs Mental e Freqüência, clique no link abaixo e conheça!

www.projetoportal.org.br

17/12/2009

RELATO – 04 MULHERES

Em uma viagem ao Mato Grosso do Sul, em Julho de 2009. Um grupo de quatro mulheres resolveu aproveitar a bela noite de luar para caminhar por uma trilha que se encontra na localidade de Corginho, dentro da Fazenda Projeto Portal.

O cheiro da mata, céu estrelado eram um tanto convidativos, embora estivesse muito frio subiram o Morro em direção a Trilha, após alguns minutos de caminhada chegaram a um Platozinho, onde havia muitas pessoas que também resolveram aproveitar a noite para um curioso passeio. Enquanto algumas esperavam para passar pela trilha, para não haver nenhum tipo de bagunça pela quantidade de gente, outras preparavam uma fogueira para enganar e afastar o gelo que estava à madrugada. Em meio a conversas e brincadeiras chegara à vez do grupo das 04 mulheres ingressarem na trilha de mata ainda em estado primitivo, preservada.

A noite de luar desmotivou o uso de Lanternas, ficando apenas 02 ligadas para evitar qualquer tropeço. Logo após uma primeira curva, passaram por uma árvore que possuía uma longa raiz que cortava a trilha.

De forma desprevenida, do lado direito da trilha uma grande Luz de cor Verde Neon, cortou a mata em um formato de Trama ou Rede. A luz possuía um estranho movimento, era milhares de Fios Neons lançados de maneira aparentemente bagunçada, cada um para um lado, parecendo que tinha muitos focos, mas a supresa ficou quando esses Fios Neons fizeram um movimento de rotação em um único eixo, ou seja, todos aqueles fios brilhantes que apontavam para todas as direções saiam de um único local. Antes que pudessem entender o que era, a luz sumiu. Embora ela fosse brilhante, parecia que algumas partes dentro de cada um dos fios tinham um pouco mais de intensidade de brilho do que outras regiões, isso em cada um dos fios que apareceram nesta primeira malha.



O grupo continuou andando na espera de ver algo a mais. Nisso, poucos passos depois inicia barulho de pedras caindo das copas das árvores, mas não eram pedras normais, eram grandes do tamanho de paralelepípedos, mas com o formato redondo, se ouvia claramente elas passando pelas folhas e galhos das árvores, mas, não se via um único movimento. As mulheres olhavam ao redor procurando achar as folhas que se mexiam ou mesmo as pedras, que pelo som caiam bem ao lado de onde passavam, mas de forma intrigante não havia nada além do som.

Embora os sons chamassem atenção o grupo continuou caminhando, nada que assustasse. As mulheres estavam calmas, independente de todo o barulho. Logo em seguida outra coisa chama a atenção, por sua forma totalmente diferente. Luzes Douradas que serpenteavam em meio às árvores e mata do lado direito do grupo, tinham um tamanho substancioso, sendo impossível de se confundir com qualquer outra coisa. Uma destas luzes veio do fundo da mata e aparentava ter um individuo muito alto próximo, tenho um tamanho por volta de 3 metros, bem esguio. Mas por questão de segundos não se via mais nada além da mata.

As mulheres pararam por um segundo para ver ao certo, mas, realmente nada havia além do grupo, plantas e talvez alguns insetos que ali transitavam.

Um pouco mais a frente uma manifestação interessante, iniciou um Som bem forte e ritmado, era uma batida semelhante ao som que Tucanos produzem com seus bicos ou então o som de 02 Bambus secos batendo rapidamente um no outro. Só que ali não havia tucanos e nem bambus, muito menos vento que pudesse fazer os bambus bater caso eles existissem ali.

Aquilo fez com que algumas parassem para ver o que poderia ser, porque realmente era interessante. O som se deu em três momentos e como surgiu, sumiu. Mas, outro barulho se seguiu após, era algo muito parecido com uma voz, mas de quem?

Neste momento o grupo realmente parou para verificar, olhar parecia inútil, pois nada se via além das plantas. O local não se trata de uma mata densa, na realidade pode ver tudo através dela, sendo plantas bem espaçadas. Enquanto o grupo observava, veio novamente a voz pedindo para que esperassem. O grupo permaneceu para saciar a curiosidade.

Uma voz feminina a frente do grupo se fez presente, e nada havia onde a voz aparentemente estava. Algo muito interessante, ali estava um Ser Feminino falando e ao mesmo tempo era algo que não se via fisicamente. Diante de tudo que foi visto a motivação era perguntar quem eram e de onde.

A conversa foi rápida, se identificaram parte como sendo de Pégasus, havia quatro Seres ali presentes em frente, a mesma quantidade do grupo. Eram casais, o Ser Masculino possuía uma grave voz, enquanto o Ser Feminino uma voz aguda e suave. Por mais que tentasse enxergar percebia no máximo silhuetas translúcidas. Isso era devido à diferença de freqüências. Eles tinham vibrações bem mais aceleradas que as mulheres com o qual eles contatavam.

As luzes, e sons no inicio da trilha eram para ajustes da freqüência do grupo para estabelecer assim a conversação. O som que aparentava bambus batendo era abertura de um Portal, por este eles passaram e se encontravam ali, bem próximos, audíveis e quase totalmente visíveis.

Por mais que tudo fosse um tanto diferente, parecia totalmente normal.

Assim, foi perguntado o que queriam e então passaram ao grupo uma determinada tarefa, qual foi feita.

A tarefa consistia em criar 09 endereços na internet com 07 paginas cada um, assim os Blogs Mental (1, 2, 3 e 4) e Freqüência (1, 2, 3 e 4), tiveram seu inicio e formação, estes que podem ser vistos neste exato momento. O 9º endereço ficou reservado para o Orkut, servindo de Perfil e Comunidade para ambos os Blogs.

Terminado a troca de informações do grupo com os Seres de Pégasus, se prosseguiu o caminho na trilha onde mais uma vez uma Luz Dourada serpentina em meio à mata, do lado esquerdo. A vontade de caminhar naquela noite se resulta aqui, nestas paginas.

O grupo de mulheres que passou por esta experiência segue abaixo, em ordem Alfabética.

Ana Catharina Alencar (SP)


Ana Paula Fistarol (SC)


Maria de Fátima Pendek (SP) e Núbia Pendek (SP)



ESPERAMOS QUE USUFRUAM DAS INFORMAÇÕES PASSADAS POR TODOS OS ENDEREÇOS CRIADOS!



RELATO – CONSTELAÇÃO DE PÉGASUS


Em uma noite no mês de Maio de 2009 um grupo de 07 pessoas, vindas dos estados do Espírito Santo, Distrito Federal, Santa Catarina e São Paulo, se reuniram durante uma viagem em Mato Grosso do Sul para o que se tornaria em uma bela concretização.

Aproximadamente por volta das 23:00hs, o grupo formado por 02 homens e 05 mulheres, munidos de lanternas e acompanhados com um cachorro da região passaram por uma trilha, conhecida pelos freqüentadores da região como Trilha do Asthar, lá tiveram uma experiência que perdurou por cerca de 40 minutos que esta relatada abaixo.

Ao adentrarmos a trilha, com poucos passos escutamos uma sonoplastia, sons de pedras caindo e algo parecido com bico de pássaros batendo. Todos do grupo resolvemos então nos acalmar, para saber o que estava ocorrendo e, neste momento escutamos o som de uma aguda flauta tocar, aquele som relaxou os presentes que ficaram mais focados ao que realmente acontecia naquele momento.

Uma voz feminina surgiu, sendo algo difícil de compreender. Chamamos a quem estivesse lá para repetir e neste momento houve um “comprimento”. Ali percebemos todos que a manifestação ocorrida ao redor não se tratava de uma coisa terrestre e sim de fora. Presente em nossa frente estava um Ser, que para muitos poderia parecer fantasioso, mas era definitivamente de outra Dimensão.

No inicio, juntamente com o comprimento formou-se uma bola de luz, em seguida como um flash dourado foi disparado em direção ao grupo. E mesmo com isso tudo acontecendo ao nosso redor o pequeno cachorro que nos acompanhava não estava nem ai para o que estava surgindo diante de nossos olhos.



A pergunta mais curiosa que tivemos é saber de onde eram e a resposta veio em uma voz doce e cantada: “Pégasuuuus”.


Ficamos empolgados e neste momento a Ser de Pégasus nos pediu calma e para esperarmos.
Logo em seguida ela falou: “Laquins! Laquins”


Os Laquins são Seres Intraterrenos de pequena estatura mas de um padrão vibracional muito elevado, pois estavam ali presentes nos apoiando no contato, dando uma ajuda vibracional para conseguirmos prolongar a conversa com o Ser Feminino de Pégasus. Ela não estava sozinha, havia um Ser Masculino junto que se manifestou em dado momento. Estávamos calmos e conscientes de tudo que ali estava ocorrendo, afinal era um momento impar em nossas vidas, e o controle emocional e a lucidez, faz toda a diferença entre o sucesso ou o fracasso desta interação entre nos e os seres destas outras dimensões.


Antes mesmo de solicitarmos algo/pedido para o grupo, Ela disse em bom tom (alto e claro) onde todos ouviram e foi possível gravar fisicamente a voz dela em um gravador, que seriamos ATIVADOS (entende-se como ser acionado) em nossas Habilidades Extras Sensoriais (todos temos essas habilidades, todos, porem passamos a vida inteira, muitas vezes sem saber utilizá-las) e Ativados na Saúde Física também. Assim, veio em nossa direção dois flash de Luz Dourada.


Na seqüência, os Seres nos pediram para “Plantarmos”, isso mesmo, alimentos irrigados! Isso para todos os presentes no grupo, independente de sermos de estados diferentes, cada um faria a sua parte, plantarmos para consumo próprio. Uma pequena tarefa até mesmo para sermos avaliados em nossas ações, se somos capazes de cumprir pequenas tarefas, ou seja, se formos capazes de executarmos com boa Vontade e de coração, tarefas maiores nos serão confiadas.


Disseram para decidirmos onde plantar, mas que fizéssemos dentro de 07 meses, que caia certo com o período próprio para plantações.


Eles estavam a 04 metros de distancia de nós, e ali conseguimos vê-los. Uma altura de 02 metros, seu contorno de energia em forma de um Ser Humano Perfeito (muito semelhante a nos) era algo impressionante , não somente a dela, mas de seu acompanhante também. A visão era espetacular, estavam flutuando e podíamos ver pontos de luz pelo corpo deles, eram transparentes e devido a isso enxergamos seu “coração” pulsando em cor vermelha e dourada.


Não existia barulho em seus movimentos, passava uma tranqüilidade. Seres de energia física, sendo um estágio mais evoluído do próprio Homem. Todos do grupo viam e ouviam perfeitamente, ou seja, era real, físico, claro e objetivo.


Apenas podemos descrever em palavras, mesmo assim, se torna muito “pobre” diante do que realmente vimos e vivenciamos.


Após esta cena inesquecível voltamos a perguntar sobre a “Plantação” e quais alimentos deveriam ser escolhidos para isso, foi nos respondido que “Milho e Feijão” eram alimentos muito bons.


Neste momento da conversa eles estavam a 02 metros do grupo, e o que conseguimos realmente ver além da luzes através de seus corpos eram suas silhuetas, que se diferenciavam de qualquer coisa a nossa volta.


Disseram para que não duvidemos de nossas capacidades de conquista e concretização.

Pedimos a eles que nos dessem um presente para que jamais nos esqueçamos dessa noite, responderam que nos dariam no “Caminho de Volta”. Continuamos nossa caminhada para sair da trilha e aproximadamente 3 minutos depois, surgem novamente dois pequenos “cometas” ou bolas de luz dourada “rasgando” a copa das árvores (muito, mas muito rápido e veloz) e em uma fração de segundos, veio em nossa direção e “explodiu” sua luz no grupo, em total silêncio.


Nesse dia nos surgiu um desafio onde acreditamos ser importante, o SER HUMANO É IMPORTANTE SIM, pois Seres da Constelação de Pégasus se deslocarem até aqui, perante este grupo, para pedir que plantemos! Deve haver motivos grandes para isso, AGIR é o segredo e este foi feito, cada um a sua parte.


Podemos ver através de tantas noticias e meios informativos científicos a importância da alimentação para nossa saúde e da necessidade de alimento caso ocorra qualquer abalo social. Biólogos sabem o quanto o solo esta contaminado, o quanto as indústrias agregam substâncias danosas ao nosso organismo em todo alimento produzido. Devido a muitos itens que qualquer pessoa interessada pode levantar através de simples pesquisas, decidimos erguer as mangas e fazer acontecer, pois este é o segredo. Ação!


E após esta ação tivemos o resultado abaixo, nossas plantas crescendo de forma saudável e essa motivação se deu após esta experiência com Seres de outras Dimensões, uma vivência única, que vale a pena ser repetida e será, depende apenas de nos! Conquistem!













O grupo era formado por:

Eonodoel – ES;

Fátima Erler – ES;

Cândida Mara – ES;

Márcia Guimarães – DF;

Carmen Margarete – SC;

Deborah Michels – SC,

Fábio Rizzati - SP.


RELATO – DIVERSOS

Abaixo é a foto de uma criança de 04 anos, Artthur, com o seu pai, logo após ter tido o seu primeiro contato direto com um Ser da raça "Laquim" que se autodenomina Bilu. Pedindo ao pequeno que divulgasse sua imagem ao mundo.




































RELATO – SUPERNORMAL


Sou Anelise, agora. Porque antes de ouvir meu nome sendo falado por uma extraterrestre de 6350 anos, eu fui Ana Eliza. Já dá para imaginar como eu sou supernormal.

Pelo que minha mãe diz, desde pequena fui diferente – estranha é a melhor palavra.

Previa acontecimentos básicos – o carro ficaria sem freio na viagem, onde estava o documento perdido, psicografava canções da Maysa.

Para mim tudo era corriqueiro. Óbvio. Não sabia que as pessoas não sabiam antes do telefone tocar que o telefone iria tocar, e o nome de quem ligava.

Tudo era muito simples.

Como a família não sabia lidar com isso, deixaram como estava. Era melhor não contrariar.
Um acordo foi feito para sobrevivência de todos. Todo mundo iria achar super normal minhas ações, por mais loucas que fossem.

Agora, depois de muitos anos, aceitei porque ninguém falou nada da tal da musica de Maysa que psicografei. Vi mesmo que eles estavam estranhos só porque eu ouvia uma voz feminina rouca a cantar no meu ouvido... mas como minha canção não teve ibope, coloquei nas inúmeras pastas de poesia, e no lixo estão desde então...

Alias, não sei bem ainda, mas sempre sofri por amor desde cedo, e continuo sofrendo... acho que não me foi permitido amar um para poder amar todos agora – este é o máximo pensamento que consigo lidar com os inúmeros fracassos amorosos...

E hoje descobri que vou continuar assim... homens tem medo de mulheres que vêem o destino... podemos descobrir se eles nos traem... bobos, sabemos disto sem ter nenhum dom especial... eles não entendem nada de meninas mesmo...

Enfim, continuando o babado, o tempo passou.

Aí achei que realmente ultrapassei todos os limites. Aí me encontrei.

Aí foi que mudei de família.

Cheguei em casa, contei a todos, e começou a perseguição. Drogas, ilusionismo, charlatanismo... tudo que vocês podem imaginar foi usado como acusação ... só porque vi uma nave espacial bem na minha frente. Super normal. É só olhar para o céu, e contar com a sorte, claro... Enfim, a terra parou para a família. E justo eu que não bebo, não fumo, não uso drogas, e também .....não... (mas estas reticências são por pura falta de opção, como já expliquei....) fui acusada injustamente. Só por uma navezinha... e tive que escolher: ou a nave, ou a família.

Conhecendo a todos, preferi a nave.

Achei que ela me levaria a caminhos muito diferentes... bem mais próximos da minha realidade.

Estava certa. Não sei o que houve com meus irmãos, mas na minha vida foi uma reviravolta.

Depois das naves, vieram as visões, os contatos. E os compromissos com a humanidade. Tudo super-normal.

E a luz me acompanhou sempre. E se manifestou em momentos-chave.

Tipo assim, estava deitada e a luz azul apareceu. Não entendi o que ela quis falar, mas ela estava ali. Uma luz de alguma alma. Um dia ainda passo a limpo esta informação – para entender melhor, não era a luz de um abajur, era uma luz do tamanho de uma maquina de lavar roupa, brilhando forte a 2 metros do chão. Tinha 18 anos.




Antes disto tiveram também as inúmeras experiências com a luz. E se transformaram em tentativas de fugir de casa. Depois de uma regressão pude entender o motivo. Quando tinha 3 anos vi a luz dourada. Esta luz falava e passava informações. Foi o suficiente para fugir em direção do sol. Super normal, abri a porta da frente que estava trancada, saí pela escada em direção a rua, em direção ao sol. Não dava mais conta de viver onde ninguém me entendia, só porque eles não falavam com a luz dourada. Eu precisava da companhia da luz, achei que o sol poderia fazer esta diferença. Esta foi a primeira tentativa frustrada. A vizinha de apartamento me encontrou na rua, a 2 quadras de casa, subindo uma das avenidas mais movimentadas de São Paulo, em direção ao sol.

E meu jeito estranho para os outros continuou a imperar – estranho para os outros, mas para mim era super normal ver a pessoa que morreu sentada na igreja em plena missa de 7.dia dela mesma. E sabe que ele estava feliz ao ver todo mundo? Confesso que neste momento duvidei ligeiramente da minha sanidade mental. Não sabia bem em que realidade estava vivendo. Estava na missa do meu avô, morto há uma semana, e ele lá bem, feliz, sentado, gostando de ver as pessoas chegando. E do outro lado, minha mãe e toda a família e amigos aos prantos. Fiquei um pouco pastel com os mundos paralelos, mas achei melhor fazer cara de paisagem.

Teve também a luz prata que apareceu em casa quando tinha que tomar a decisão de qual emprego seguir: mudava para o Rio do Janeiro ou para o Japão. Decisão corriqueira na vida das pessoas normais. Apareceu uma luz muito maior que a maquina de lavar roupa e eu entendi que era para eu me mudar para o Rio. Não consigo entender como uma luz que não falou nada pode me dar a solução, mas eu entendi. Tentei explicar para meu namorado na época que estava de mudança de cidade porque a luz me disse isto sem palavras, mas ele não interagiu na mesma freqüência. Achou por bem virar ex-namorado.... homens...

E a vida continuou seguindo... eu vi uma pessoa da família ascensionar com as flores que minha mãe levava no tumulo, isto sem saber que minha mãe visitava o tumulo...

Vi minha vó se despedir de mim ao falecer, sem saber que ela havia falecido... Vi meu pai mandar vários recados para mim, e obviamente, não entendi nenhum deles. Sabe lá o que é estar dormindo no sofá e vem seu pai, que já fez a passagem, bem na sua frente, te acordar com um sopro e um grito abafado.. e começar a falar??? Não deu certo a tentativa dele. Fiquei sem a mensagem, mas com a informação de que ele estava bem. Pelo menos, rejuvenescido e feliz, isto estava!

Coisas super normais aconteceram, como você pode ver... e como no universo, os iguais se atraem... acabei encontrando meu caminho ao lado de outros tão normais quanto eu.

Não antes de passar pelo judaísmo, budismo, hinduísmo e tantas outras religiões. A família já estava se acostumando que todo ano havia uma nova piração. Pirâmides, meditações, encontros espirituais, cartas da rosa-cruz, hebraico e cabala.. e assim foi...

Mas teve um dia em que a Terra parou. Pelo menos para mim.

Fui a uma fazenda, a 1200km de casa, no interior do país, e me deparei com uma gigante nave no formato de pirâmide – imitava a pirâmide do Louvre, apenas em luz verde e vermelha. Tudo super normal, num lugar em que não havia luz elétrica.


AS AVENTURAS QUE VIVI NESTE CAMINHO

Você já andou por uma trilha na floresta que aumenta sem você saber – muda de caminho, fica clara, escura, com trechos que não existem em outros momentos? Já passei por isto também, e para completar, com 11 crianças que eu estava responsável.


Quando cheguei e encontrei os familiares das crianças, achei melhor simplesmente entregar os pimpolhos. Eles se encarregaram de contar os detalhes sórdidos.

E os pais adoraram! Incrível este povo! Os filhos passaram por uma estrada dimensional fora deste plano e eles acharam super-natural! Povo moderno...

Estas crianças sempre me deram muito orgulho. Com eles aprendi que pode chover pedras do céu, e as pedras têm perfume! Perfume de cheiro de bebê, de lavanda, de rosas, de chocolate, e até de pum! (coisas de crianças! Que logo pediram cheiro de chiclete! E não é que as pedras cheiravam chiclete?!) E elas que são as crianças!

Uma destas meninas conseguiu iluminar uma pedra. Colocou na mão e a pedra ficou envolta em uma energia verde-limão. A energia girava somente sobre a pedra, e não passava para a nossa mão. Super normal. Ela fez isto brincando... tenho a pedra até hoje – na minha mão nunca mais ela brilhou. No inicio dormia com a pedra, e a cada 10min eu olhava para ela... se ela aparecesse brilhando eu poderia ver de novo. Esta estratégia não deu certo. Passei algumas noites em claro olhando a pedra, e meu outro namorado não gostou nada da idéia... só ficava olhando a pedra... Eu fiquei com a pedra, e sabe que nem sei que fim ele levou?

Quase ia me esquecendo, a Nave-Mãe. Eu fui uma das testemunhas oculares da passagem no céu da Nave-Mãe. Um estádio de futebol voando sobre nossas cabeças. Com um campo eletromagnético tão forte que parecia que o céu enrolava e desenrolava. Fiquei completamente pastel por meses. Só pensava na Nave-Mãe. E fiquei imaginando se ela fosse a Estrela de Belém...Por isso os Reis magos cruzaram o mundo... eu iria até a China se pudesse acompanhá-la... a energia que ela emana é inexplicável. Pena que ela se mandou. Ainda gritei muito para ela me levar. Não ouviu. Tantos milhares de anos aguardando, e eu sem um mísero sinalizador – dizem que ela é tão velha na Terra, que o apelido para os íntimos é Sucatão.

Agora, sabe lá quando ela vai passar de novo... Por isso estou todos os feriados em lugares sem luz, ermos, só olhando para o céu. Quem sabe ela aparece de novo... Pena que nestes lugares não tem muita companhia... Meninos preferem a final do corinthias com o Ronaldo marcando 2 gols. Isto é que é motivo fútil. Aquele gorducho x sucatão. Sem comparação.

Mas tiveram também provas físicas. Eu vi as pegadas de uma energia feminina que habitou a Terra há 10mil anos atrás. Ela passou pelo deserto, na frente de 5 amigos, e deixou suas pegadas na areia. Esta experiência impressionante mexeu profundamente comigo. Sonho com esta energia. E continuo chorando de emoção ao lembrar que das suas pegadas emana uma forte vibração. E o mais normal disto, é que choveu no deserto (!) e as pegadas não desapareceram! Ficaram lá por muito tempo. E eu aqui... longe delas...longe dela. Fiquei tão impressionada que coloquei as fotos das pegadas no meu escritório, nos produtos que vendia, em tudo que pudesse. Fiquei alucinada pelos pés de uma mulher!


ALIMENTAÇÃO

Eu tenho pânico de maçãs. Há anos que como maçã. Milhares. Tudo porque desenvolvem os cristais da pineal. Mantém a energia vibracional no frontal – seja lá o que isto quer dizer, o importante é comer maçãs.


Pilhas. Montanhas. Carregamentos lotados de maçã.

Me tornei uma especialista. Agora, só como da fuji. Gala, nem pensar – mas os supermercados insistem em fazer ofertas da gala – maldição total. Deve ser porque eles gostam de vender gala, não de comê-las.

Aprendi um horário para comer as maçãs sem perceber. Tive que adotar uma estratégia para enganar meu cérebro. Agora, quando o relógio bate 18h meu estomago ronca de fome, o jeito é saciá-lo com advinha o quê? Maçã!

Tenho maçã pelo carro, na mala de viagem, na bolsa... na mesa do escritório.

No mercado acham que sou compulsiva. Sem motivo. Uma vez compramos uma caixa inteira delas. Estávamos em cinco pessoas em casa, e cada um deveria comer naqueles dias 5 maçãs cada um. Sucos, torta, purê, tudo era de maçãs...Sinto dizer, mas estes convidados não voltaram mais em casa. Mudaram para uma casa perto, e no dia em que mudaram, ainda liguei do supermercado para saber se eles precisam de algumas maçãs... não sei porque não aceitaram minha oferta!

No começo comprava das grandes, mas agora estou apelando para as da mônica...

Mas hoje dei um passo definitivo nesta história. Comprei um juicer. Um super esmagador de maçãs. E ainda misturo com cenoura, nem lembro que elas existem... só na hora de vê-las sendo trituradas....delicia....bem amassadas....

Mas tudo pode sempre piorar.. Teve a fase de comer cebola com mel. Era para ativar alguma glândula no cérebro – agora me esqueci exatamente. Mas a sensação de comer um prato de sopa de cebola crua com mel por cima, isto não esqueço mesmo. Depois de 10 dias comendo as cebolas com mel, minha mãe teve um ataque. Jogou tudo no lixo e disse que não agüentava mais aquela comida... Tadinha, teve um ataque furioso – foi o fim desta refeição e do prato da louça francesa junto. Isto porque não contei a ela que li as instruções erradamente. Era para comer a cebola (que poderia ser na salada) e depois uma colher de mel... como uma sobremesa.. não exatamente o mel em cima da cebola.... e esta dieta era por alguns dias, não por 15 dias... detalhes que só vim a perceber depois – achei melhor não comentar...

Teve também a semana da batata com ovos cozidos e suco de uva natural. Só isso durante 7 dias. Era uma tentativa para dar mais energia. Preciso dizer o que aconteceu? Só enjôo.

E quase ia me esquecendo. Uma delicia de gororoba! Semente de abóbora, gérmen de trigo, vitamina B e falta algo ainda – exatamente que dava a esta mistura um gosto horrível... só sei que misturava com suco de uva natural e glupt! Era para dar luminescência nas mãos. Nunca consegui. Fiquei horas no banheiro escuro para ver se as mãos exalavam luz verde. Teve um namorado que desistiu de esperar eu sair do banheiro. Preferiu uma amiga que não queria ficar verde. Uma desculpa fútil, não acham?

Teve também a fase do supermercado anti códigos de barra com ® dourado (sabe aqueles micro ® que existem ao lado no nome do produto? Era isto que eu procurava. Se fossem amarelo ou dourado , estavam proibidos em casa). Estes alimentos poderiam conter nanotecnologia. Vocês imaginam o que era fazer compras comigo ao lado? Cada pacote era minuciosamente examinado e ejetado do carrinho em caso positivo. Nesta época dividia a casa com um amigo. Depois de fazermos compras por 2 vezes juntos, ele saiu de casa. Disse que era insuportável viver comigo. Não agüentava mais eu jogar fora tudo que via com ® dourado. Achei a desculpa lavada, mas a casa era minha... e o ® dourado era uma ameaça a saúde publica. Perdi a companhia das baladas mas ganhei mais dias sem nanotecnologia. Aviso aos navegantes ....hoje não adianta mais procurar o ® dourado. Tudo está contaminado.

Agora tento viver uma vida saudável. Confesso que não consigo. Tenho vontade de comer doces, tomar café, e na verdade, não gosto muito de comer.

E a dieta recomenda comer muita carne vermelha. Desculpe-me vegetarianos, mas só a carne vermelha pode te salvar de ficar leve demais, fora da realidade. Só uma vaca irá te salvar! Agora até encaro um churrasco – desde que eu fique longe da churrasqueira para não estragar a chapinha e faça um acordo com o churrasqueiro. Troco carne boa por uma manutenção ininterrupta de cerveja gelada. Como não bebo, fico bem atenta para ele estar constantemente munido! (afinal, em churrasco da galera, só come quem cerca o cozinheiro...)

Mas hoje veio a sábia decisão do juicer. Agora eu vencerei esta batalha. Ao vencedor batatas, digo maçãs.

Para comemorar amanhã vou ao Ceasa – viverei de suco de couve com limão, beterraba com laranja, manga com gengibre. Sempre com uma maçã esmagada e disfarçada no meio.

Aguardem notícias!

Mas não pensem que é só a alimentação que deve ser regrada para esta vida super-normal. Tem também a ginástica.

Em teoria, deveria ser todos os dias.

Tenhos picos. Altos picos de preguiça e lampejos de natação.

O problema é que todas as vezes que me matriculo na natação, mudo de casa. Aí perco a matricula e o pique. E agora estou nesta fase. Pelo menos, tem um maiô novo para inspirar. Mas vem o frio... talvez eu pule mais esta semana...

Mas fica a maldição. Sem exercício físico o cérebro adoece, não tem carga elétrica suficiente no corpo para interação com realidades paralelas...

Mas que saco! Depois de tudo isto, ainda tem que ter barriga de chapinha para falar com gente de outro planeta.

Eta povinho mais exigente, sô!

E esqueci de dizer. Namorar faz bem. Imprescindível para alcançar um nível energético poderoso. A comunhão dos sentidos. Alguém pode só me explicar como se arranja alguém para este fim que suporte tudo o que vocês acabaram de ler??

Não deixe de ler em breve sobre como sobreviver a 07 banhos frios de 47segundos durante o inverno e muitas outras aventuras de uma vida super normal.


video


RELATOS - CASAL MARCELO PONTES E ROSI FERNANDES

O casal Rosi Fernandes e Marcelo Pontes, vai contar para gente as experiências ufológicas vividas em Paraty-RJ e Mato Grosso do Sul, onde tiveram contato de 4º Grau com o Comandante Asthar Sheran.
  • Quem é Marcelo Pontes: Natural do Rio de Janeiro, formado em Marketing, empresário, pesquisador e estudioso da Ufologia.
Mensagem: “Acreditem, sigam seus instintos, o fenômeno UFO é real.”
  • Quem é Rosi Fernandes: Natural do Rio de Janeiro, formada em Administração, empresária.
Mensagem: “Veja o seu próximo como a ti mesmo, lembre-se que somos Um, sua evolução depende do outro, procure sempre fazer o bem“.

Marcelo Pontes diz: “Em 1992 eu tinha uma pequena padaria que fazia entrega de pães na região de Paraty-RJ, numa madrugada que acabará de assar os pães, fui olhar o céu da sacada do meu quarto, com o intuito de ver se o tempo estava firme, para fazer as entregas. Ao chegar na sacada observei o céu que estava muito estrelado e lindo, ao olhar para um morro que fica a 1 km de distância, vi surgir um grande circulo de luz dourada com um núcleo avermelhado, o seu tamanho era equivalente a uma aeronave de grande porte. Sobrevoava o contorno do morro, sem fazer barulho algum, baixa altitude, e bem lento, o contato durou uns 5 minutos, depois ela desapareceu num piscar de olhos. Daí em diante houve outras aparições, meses depois uma luz do tamanho de uma laranja de cor azul, acompanhou meu carro por alguns metros, estava a uns 80 km/h. Despertou em mim uma grande curiosidade sobre esses fenômenos, comecei a estudá-los e a entende-los melhor.”

Rosi Fernandes diz: Quando pequena em torno de 06 anos de idade, eu morava no Rio de Janeiro e em minha casa apareceu a 2 metros do quintal uma bola de fogo do tamanho de uma bola de futebol, ficava fazendo movimentos como um triângulo, permaneceu por 2 horas flutuando, minha família toda viu aquilo sem saber o que era, lembro que papai comentou que poderia ser algo de outro mundo nos observando. Passado mais tempo lá pelos 08 anos, eu ajudava mamãe e papai na Feira e todo domingo acordava cedo e ficava sentada no quintal olhando o céu, esperando papai arrumar o carro, foi quando vi uma estrela que estava parada, e derrepente começou a se movimentar, bem devagar e logo em seguida gerou um clarão e esfumaçou. O tempo foi passando e conheci o Marcelo em 1991, e nós começamos a ter experiências ufológicas juntos.

Marcelo e Rosi: As luzes nos seguiam, certa vez, namorávamos na praia de Paraty, e olhávamos o céu, porque conversávamos muito sobre esses assuntos, líamos revistas sobre o tema etc, então, apareceu próximo a Lua uma estrela que nos chamou a atenção, brilhava de forma diferente, mais não demos bola, passado 1 hora depois, ela começou a movimentar em direção a cadeia de montanhas, daí ficamos eufóricos, e pensamos vamos chamar a atenção dela, resolvemos colocar o carro em sua direção e piscar o farol alto, fazendo um “sinal” para que nos vissem, pra nossa surpresa, ela respondeu de imediato, aumentando em 3 vezes de tamanho, uma cor prata, e foi diminuindo a velocidade e começou vir em nossa direção, fazendo um “L”, daí ficávamos com medo, alegres, eufóricos, tudo ao mesmo tempo, e quando passou sobre nossas cabeças mas bem alta, ela desapareceu deixando um rastro de luz prateada. Esse episódio mudou muito nossas vidas, depois sonhávamos muito em estar voando, caindo de grandes alturas, entrando em discos etc.., continuamos na busca e em 1997, conhecemos o paranormal e ufólogo Urandir Fernandes de Oliveira, que fez uma programação para um contato de 4ºgrau com um ser extraterrestre que se denomina como Comandante Asthar Sheran. No ano de 1998, no dia 14 de fevereiro, às 5h30 da manhã ocorreu o contato.

Na época, fazíamos o curso de evolução mental aqui no Rio de Janeiro, e segundo o próprio Urandir, nossa turma tinha chegado a uma vibração que favorecia esse contato.

Não sabíamos exatamente o que e nem como seria, mas todos nós ficamos alegres.

Afinal, essa seria também uma prova para muitos de nós que ainda tinham dúvidas sobre a existência dos Seres extraterrestres.

Ansiávamos por esse dia.

O dia chegou!

Seguimos viagem rumo a Fazenda Projeto Portal, no Mato Grosso do Sul, onde ficaríamos durante 03 dias.


Na fazenda...

Rosi e Marcelo - Fazenda Projeto Portal
Local da Foto: Zigurats

Nos primeiros 02 dias passeamos pela fazenda, subimos o morro, visitamos as crateras e fizemos vários tipos de trabalho de interação com as pessoas. Aquele lugar era algo fantástico, a energia era diferente, todos nos sentíamos bem lá. Éramos um grupo de aproximadamente 123 pessoas, estudiosos, pesquisadores, esotéricos, curiosos, de vários lugares do Brasil. No último dia lá no projeto, já eram 21 horas quando subimos o morro.

O pessoal da equipe do Urandir veio até nós e disseram que precisávamos ficar tranqüilos, relaxados, e que os contatos provavelmente teriam início às 23 horas indo até as 05:22 horas da manhã. Como a vibração do grupo interfere nesses contatos, receberíamos a confirmação através de 03 luzes douradas que deveriam aparecer no horizonte. Algum tempo depois apareceu à primeira luz dourada, muito forte do lado direito de quem estava no morro. E depois, no meio, surgiu uma outra luz e, no outro extremo, a terceira luz apareceu. Então estava confirmada a presença do Ashtar Sheran no nosso contato.


Asthar Sheran

Estavam juntos Marcelo, sua esposa Rosi e o amigo Cesar. Começaram a chamar as pessoas, primeiro os idosos e deficientes, que tiveram que ser ajudados, sendo carregados até o local. Todos que iam não retornavam para nos dar as notícias, pois eles saíam por outro caminho no morro.

O tempo ia passando, até que chegou a nossa a vez. Ocorriam na mata clarões violeta, azul, prata e uma grande nave se levantou do solo e ficou meio céu, jogando luzes multicoloridas. Já eram 05:00 horas da manhã. Fomos levados por uma trilha na mata onde encontramos com o Urandir. Alem de nós três, tinham outras pessoas em grupos de 03 pessoas, misturadas, onde o Urandir separou por vibração, coincidência ou não o grupo Marcelo, Rosi e Cesar permaneceram juntos.

Estava uma lua cheia, linda, que clareava a mata toda, ajudada pelo sol que já ensaiava para nascer. Percebendo ansiedade do grupo, o Urandir calmamente falou: "então vamos lá"

Marcelo diz:

Chegamos num local descampado, com poucas árvores ao redor, uma mata rala, baixa, com algumas arvorezinhas na frente. Era tipo uma clareira. Procurávamos o tal Ser à nossa volta, mas não víamos nada. Com um pouco de esforço observei algo parecendo uma cortina, ou uma cascata de luz prateada, como se fosse purpurina. Cheguei a tocar nessa luz e o Urandir deu risadas, comentando que era a "aura", ou "campo energético" do Ashtar Sheran, que media aproximadamente 10 metros de diâmetro.

O Urandir estava do nosso lado e falava assim:

- “Ele está andando na frente de vocês. Tentem visualizá-lo".

Nós olhávamos e não víamos nada. Comecei a pensar: Será que o Urandir está mentindo? Será que ele é um charlatão? Trouxe-nos aqui, nos enganou, disse que teríamos um contato com um Ser e não estou vendo nada!

Ele perguntou de novo: "Vocês não estão vendo nada?”.

Os três responderam que não.

Ele disse: "Então coloquem os dedos nas têmporas, pressionando-as".

Fizemos isso, e de repente surgiu uma imagem, formando uma silhueta humana, diante dos nossos olhos, distante uns 3 metros de onde nós estávamos. Era uma silhueta um pouco escura. Ficamos impressionados e falei emocionado:

Estou vendo agora! Estou vendo!

O Urandir disse: "Calma. Fique tranqüilo".

Aí é que a ansiedade aumentou.

Eu estava vendo uma coisa muito diferente. Parecia, pela silhueta, um ser humano perfeito. Aparentava ter 2,40 m de altura. Ele estava levitando, a mais ou menos 01 palmo acima do mato, mas andava normalmente, pisando como se estivesse marchando. E à medida que ele andava acima do mato, este se mexia, se amassava. Na verdade, antes mesmo dele pisar, o mato já se movimentava e se abria diante dele. Uma coisa incrível. Conseguimos ver também uma luz em volta de seu corpo. Olhamos na direção do rosto dele e inicialmente não vimos nada. Parecia que era uma sombra. Eu pensava:

“Poxa! Será que é um ser negativo?”

O pensamento dos três foi o mesmo. (Logo após o contato em conversa)

Nesse momento, minha esposa e o Cesar estavam do meu lado. Ao mesmo tempo, ele oscilou e parecia que iria se apagar, como se fosse uma televisão se desligando. Nessa hora, tocou fundo em nossos corações e eu tive a certeza de que era um ser positivo.

Então eu disse: "Não. Me desculpe Comandante. Por favor, me perdoe".

Emiti um pensamento para que ele não fosse embora.

Ele voltou e nessa hora se formou uma luz em volta da cabeça dele, uma auréola de luz bem sutil na cor dourada. Também saíam fagulhas de energia da cabeça dele como se fossem raios. Os Chakras dele incandesceram de uma tal maneira que eu nunca vi. Todos os Chakras acenderam, cada um de uma cor.

No frontal dele, no meio da testa, acendeu uma luz dourada. Ele nos jogou um flash dessa luz, nos banhando com ela. Essa luz provocou em nós um sentimento muito forte, uma sensação de amor universal. Em frações de segundo vieram flash de muitas informações do mundo todo, como se fosse uma retrospectiva de fim de ano, mostrando a guerra, a fome, desprezo, indiferenças, homens matando homens, pessoas com mesas fartas e outras olhando, passando fome, muita tristeza, miséria total. Isso em fração de segundo.

Ficamos muito impressionados, e queríamos que ele viesse mais próximo de nós. Lembro que pedi para eu me aproximar, mais ele parou em posição de descanso militar, e balançou a cabeça que “não”.

Perguntei ao Urandir: "Por que ele não vem até aqui?".

E ele andava de um lado para o outro, em zigue-zague, com as mãos pra trás, numa posição de militar, sem parar. Um andar diferente, cadenciado, muito parecido com o andar daqueles soldados alemães, marchando. Ele andava assim e com as mãos para trás, com a cabeça sempre baixa e quando nós falávamos com ele mentalmente, mandávamos um pensamento ou uma pergunta através da mente, por telepatia, ele erguia a cabeça, que para nós era sinal de que ele nos ouvia, emitindo luzes através do seu corpo. O impressionante é que ele andava atravessando as arvores, e demonstrava preocupação, neste momento a Rosi perguntou ao Urandir: “Por que ele estava tão preocupado?” e o Urandir respondeu: Que estava próximo dele partir, pois senão ele poderia ficar denso, muito denso, e isso não seria bom, pois a nossa dimensão é muito pesada.

Eu queria perguntar muitas coisas, mas não conseguia formular as perguntas.

A ansiedade de querer tocá-lo era grande.

O Urandir disse: "Peça a ele que venha até aqui. Pode pedir".

Então, eu olhei pra ele e pedi para que ele se aproximasse, para que pudéssemos tocá-lo. Ele levantou a cabeça, acendeu uma luz vermelha no plexo dele que foi enviada pra gente.

O Urandir disse: "Olha gente, essa luz é uma resposta de que ele não poderá se aproximar, porque vocês estão muito ansiosos. A ansiedade de vocês bloqueia a aproximação dele.”.

Ele tinha mais energia que matéria, apesar da semelhança do seu corpo com o nosso. Ele tinha cabelos na altura dos ombros, um olhar muito expressivo, de autoridade, e ao mesmo tempo de amor.

Surgiu à nave dourada no céu em cima do platô que existe na região, e o Urandir falou: esta na hora dele partir. E falamos: Mais ainda têm muitas pessoas para vê-lo, e ele disse: Vocês decidem!!! Resolvemos então que as outras pessoas vissem, O Urandir então falou: “perguntem a ele se o contato foi aprovado para vocês.”, daí perguntamos e o comandante jogou varias luzes das mãos, do corpo, dizendo que tinha sido aprovado.

Neste momento apareceram luzes no céu, eram naves.

Então saímos correndo para chamar as outras pessoas.

Foi maravilhoso, só depois de anos vimos que ele passou nosso compromisso, que têm haver com a população, fome, união, passar as nossas experiências para as pessoas e informá-las que existem seres de dimensões diferentes, que estão vindo para nos orientar e nos auxiliar na transição do planeta.


Rosi Fernandes e Marcelo Pontes



GRAUS DE CONTATOS



A ufologia em geral determina para mais fácil verificação dos relatos de avistamentos e contatos com os Seres Extraterrestres certos “graus”. A função destes é classificar a intensidade do ocorrido.

A idéia de abdução fica fora deste contexto, já que os contatos atuais só acontecem com a permissão do individuo qual esta experimentando a situação. Se algum acontecimento de abdução for relatado com toda a certeza esta foi feita pelo próprio homem de alguma forma.

Os Seres que atuam no presente momento em nosso planeta não permitem que aja esse tipo de conduta entre eles, não sendo admissível forçar o contato contra o desejo da pessoa.

Todas as experiências de contatos, de alguma forma, trazem benfeitorias seja pela tomada de consciência de que existe algo a mais, pelas novas informações adquiridas ou pela própria experiência passada, já que uma vez vendo algo diferente aos nossos olhos, tratamos de mudar as atitudes que percebemos fora de enquadramento e nos tornamos mais presentes na verdade sobre nossa realidade.

Segue abaixo a classificação dentro da Ufologia Dimensional:

  • 1° grau – Avistamento de fenômenos distantes;

  • 2° grau – Avistamento de fenômenos mais próximos, luzes ou naves tentam uma comunicação piscando ou emitindo luzes;

  • 3° grau – Avistamento de fenômenos a uma distância de 100 a 200 metros, pode acontecer uma conversação através de transmissão mental;

  • 4° grau – Possibilidade de conversa verbal com os Seres, podendo tocá-los ou ser tocado;

  • 5° grau – Conversa mais direta com os Seres podendo fazer viagens fora da estratosfera ou outra dimensão. Anteriormente é feito algum preparo energético por eles;

  • 6° grau – A pessoa interage com maior facilidade, podendo visitar o planeta deles sem interagir com a população, permanecendo na nave;

  • 7° grau – O contato pode durar mais de 7 horas;

  • 8° grau – Tem liberdade para interagir com a população nos mundos dos Seres qual mantém contato;

  • 9° grau – Pode-se passar um período de visitação em outros planetas recebendo informações e orientações.
São muitos os casos de contatos com Seres Extraterrestres e Intraterrenos relatados, todos com detalhes interessantes e de certa forma comuns de se apresentarem. A maioria das pessoas passa por etapas de avistamentos até a possibilidade da comunicação verbal com um deles.

Existe uma certa preparação por parte destes Seres conosco, claro que é uma via de mão dupla, para que esse relacionamento se estreite de piscadas no céu para uma conversa com poucos metros de distância. Algumas pessoas que já possuem uma freqüência compatível podem já ter de cara um contato mais longo e com trocas de informações importantes para entendermos tudo que nos cerca. É claro que não existe uma regra determinada para a ocorrência destes intercâmbios, mas uma mente aberta e boa intenção já são itens que impulsionam.

No dado momento que a pessoa toma consciência de um pouco da realidade e começa a prestar mais de atenção ao seu redor pode reparar que no céu passa muito mais coisas do que aviões, helicópteros e satélites. Por estarmos ocupados com o dia a dia e condicionados a uma regra diária de atividades deixamos muita coisa passar. Nos textos seguintes foram colocados alguns destes relatos de contatos com estes Seres de outras Dimensões, experiências únicas e intransferíveis.